O marketing de conteúdo ajuda a reter seus clientes

O marketing de conteúdo ajuda a reter seus clientes

Sim! Isso porque o marketing de conteúdo é mais do que uma venda, é uma forma de trocar: conhecimento, experiências e expectativas com seus clientes e de forma direta.

Falando de forma resumida, o objetivo do conteúdo é gerar conexão com seu público e engajá-lo a partir da criação de artes, textos e interações que sejam relevantes para quem os consome. A partir desse formato sua empresa atrai pessoas e as envolve de uma forma positiva, essa troca gera valor e assim os negócios se desenvolvem.

Para criar um bom conteúdo primeiro é necessário entender quem é o seu público: é mais feminino ou masculino? É um público diverso? Tem qual idade? É de que região do país? A partir do momento que já sabemos para quem estamos falando, é importante saber como comunicar e, nesse quesito, o conteúdo, a boa redação, o bom copywriting, andam de mãos dadas.

Vamos a alguns exemplos práticos: se você tem uma audiência de meia idade, não adianta usar expressões, gírias ou memes que fazem sucesso apenas entre os adolescentes, o efeito não será como você imagina. Assim como é importante entender que, se sua área é mais técnica - como a área médica, por exemplo, não se deve esperar que seus clientes (pacientes) entendam termos rebuscados e técnicos. É preciso simplificar a informação para uma melhor compreensão, mas o conteúdo não precisa ser simplista.

A grande vantagem do marketing de conteúdo é vender de forma menos escancarada: o conteúdo produzido não está vendendo um produto/serviço com todas as letras, ele está ensinando seu público, interagindo com ele, conhecendo-o melhor. E a partir desse conhecimento e dessa troca, sua empresa se torna uma autoridade, uma liderança que tem o respeito do público e é sempre lembrada quando um seguidor se torna cliente.
Desenvolvimento web
Branding
Inbound Marketing
Redação

Marketing e seus efeitos

Marketing e seus efeitos

Segundo Philip Kotler, Marketing é um processo tanto administrativo quanto social pelo qual as pessoas obtêm o que desejam e necessitam através da geração de desejo, oferta e troca de produtos de valor.

Como colocado acima, Kotler traduziu bem a definição de Marketing em “Obtêm o que desejam e necessitam através da geração de desejo, oferta e troca de produtos de valor.”. A forma descrita por Kotler nos remete ao principal objetivo, que é conhecer e traduzir o comportamento do consumidor e gerar desejo através de técnicas e estratégias.

Criar esse desejo é o maior desafio de todos os profissionais da área, não pela pluralidade de personalidades, mas na inovação e criação de novos gatilhos e conceitos de atração.

O grande erro dos negócios que investem em Marketing é acreditar que toda campanha mal sucedida é um tempo perdido. Hoje, com a chegada do digital, o objetivo que antes era a “venda” se tornou algo maior: a coleta de dados.

Campanhas não são mais vistas como “mal sucedidas”, mas sim como uma captação de leads e de experiência do usuário. Com o avanço tecnológico, hoje temos plugins, pixel e outras ferramentas que possibilitam entender cada fase da jornada do consumidor até sua compra.

Investir em Marketing é mais do que vender, é ganhar do seu público o que eles têm de maior valor: seus dados e seu comportamento. Diversos estudos são realizados para entender qual a melhor percepção do consumidor e com isso melhorias são aplicadas de forma que a experiência se torna única.

Um grande exemplo é a gigante Amazon. Pioneira na inovação tecnológica e principalmente em sua experiência de usuário, a Amazon possui uma comunicação integrada entre seus canais, de forma que você pode começar a compra em um aplicativo e terminar no site.

Em alguns países, a comunicação é tão otimizada que caminhões da Amazon que passam pela cidade, caso tenha sua mercadoria, você é notificado e pode realizar sua retirada.

Isso é Marketing, pois identifica a necessidade do consumidor e cria uma solução que desperta seu desejo de consumo. Agilidade, qualidade e velocidade na entrega. Ainda temos muito que crescer e os avanços do Marketing ainda têm muito a nos beneficiar.

Redação
Inbound Marketing
Branding
Desenvolvimento web

A marca e o digital

A marca e o digital

O maior desafio das marcas migrantes para o digital não é encontrar seu espaço, mas deixar claro aquilo que elas são. Muitos empreendedores ainda relutam em assumir uma presença digital por medo de não conseguir passar com clareza aquilo que o negócio representa.

Afinal, como devo começar? Muitos “gurus” indicam o início com as redes sociais, no entanto, nem sempre é a melhor opção. Quando você quer buscar algum estabelecimento, telefone ou endereço, onde você faz suas pesquisas? Exatamente, o Google!

O primeiro passo para migrar para o digital é ser encontrado no Google. Com apenas alguns passos já é possível criar o seu Google Meu Negócio. Claro que a melhor opção é que você tenha um especialista para configurar e atualizar suas informações de contato e de negócio.

Dessa forma, ainda que você não tenha uma rede social como Instagram, página no Facebook ou outra rede de compartilhamento, o Google fará com que seus potenciais clientes te encontrem com mais facilidade.

O que é válido também é deixar em seu estabelecimento gatilhos para que seus clientes te avaliem no Google como: adesivos, panfletos e outras mídias. Essas avaliações são extremamente importantes para ranqueamento no Google. Assim você terá grandes chances de estar nas primeiras páginas de pesquisa.

Mas como isso se relaciona com Branding? Se o seu negócio já possui uma logística de atendimento, pós-venda e um bom produto, tudo que você deverá fazer é fazer com que as pessoas o encontre e aí entramos na segunda fase: a presença da marca.

Com a criação das primeiras redes sociais você deverá se preocupar em como ela vai ser absorvida pelos seus clientes. Mais importante do que o visual é o conteúdo. Ele ditará as regras do jogo, pois deverá refletir exatamente o que seu negócio representa na vida de seus consumidores.

Muitos negócios se perdem por não conseguirem encontrar uma forma de ser relevante no dia-a-dia de seus consumidores. O objetivo aqui não é vender, é criar conexão e influência com seu produto sobre a vida do seu cliente. Por isso, cores do negócio, tipografia, conteúdo, redação e uma boa campanha pensadas nos seus valores e missão poderão fazer total diferença no poder de decisão do seu potencial cliente.

Nada mais agradável do que encontrar uma marca que tem no digital a mesma identidade que no off-line.

Comece sendo encontrado, crie sua identidade e sua linguagem e seja bem-vindo ao digital!

Redação
Inbound Marketing
Branding
Desenvolvimento web

5 razões para ter um site

5 razões para ter um site

1. Aumenta a visibilidade da empresa Ter um site próprio, aumenta a visibilidade. E tem a ver com o princípio de quem não é visto, não é lembrado. Tanto pela possibilidade de alcançar um melhor posicionamento nos resultados das buscas orgânicas, como pelo fato de que estar presente em mais mídias, aumenta as chances de ser visto. Por meio de diferentes tipos de sites (site institucional, blog, e-commerce, etc), você consegue estabelecer diferentes fontes de informação, para cada propósito e atender as diferentes necessidades dos seus clientes, ampliando a visibilidade no mercado de interesse. O tipo de conteúdo, os formatos, são definidos por você e não pela rede social.

2. Maior alcance Ao se dispor de mais de uma mídia, geralmente consegue-se um alcance maior, já que nem todos participam de todas as redes sociais e há até quem não participe de nenhuma. Você vai deixar esta parcela que não tem acesso, por menor que seja, incomunicável com você? Ou você acha que alguém que não tem uma conta na mesma rede social que sua empresa, passará a ter apenas para entrar em contato?

3. Gera mais conversões No seu site é você quem define desde layout, navegação, tipos de conteúdo, como a informação é disposta e organizada, favorecendo instituir jornadas de compra, ou a estratégia de Marketing Digital que tiver criado.

Um site que proporciona uma boa experiência ao usuário, favorece a conversão de visitantes em leads e destes, em clientes.

Só por meio de total autonomia para definir e implementar campanhas, que se pode verdadeiramente obter boas taxas de conversão, situação que não é possível em uma rede social.

4. Credibilidade e confiança da empresa Normalmente a disponibilização de um site de empresa, está associada a uma infraestrutura de comunicação maior, bem como uma preocupação e cuidados maiores. Proporcionar esse tipo de imagem ao seu público é fundamental. Você pode não ter uma nova oportunidade de causar uma primeira boa impressão, especialmente na Internet em que seus concorrentes estão a apenas um clique de distância.

5. Criação de imagem e conceito da empresa A imagem e o conceito que as pessoas formam a respeito das empresas e de outras pessoas, está muito relacionado com o que se vê e particularmente quando se usa uma rede social, dificilmente você consegue destaque, afinal todos parecem-se iguais. Por mais que os conteúdos possam ser muito diferentes, haver imagens e logos que tentam remeter a empresa, sob a infraestrutura da rede social, todos têm a mesma cara, todos têm as mesmas cores e mesmo layout. Sua forma, suas cores, seu conteúdo personalizado, a navegação e tudo o mais que ajuda os clientes a lembrar de você, só é possível em seu site.
Redação
Inbound Marketing
Branding
Desenvolvimento web

AGÊNCIA KAYA

Faça Login